quarta-feira, 29 de julho de 2009

"Tio Zé Peixe"


Se os avós são para os netos os adultos mais tolerantes e amigos que estes podem ter, os bisavós são a dobrar... Há nesta condição velhinha, um amor tão inexplicável como grande! Quando era pequena e ía a Castelo Branco visitar os bisavós, tinha sempre um colo risonho e muito ansioso à minha espera, um abraço apertado e sentido... Nunca me vou esquecer da tristeza que era o dia do regresso e das despedidas, em que ficavam a dizer adeus ao carro, até este desaparecer na rua... e lá saíam umas lagrimazitas....
A família cresce e cada um segue o seu rumo, os velhinhos vão ficando à espera das visitas, um consolo que os vai animando. O meu bisavô paterno sempre foi o meu preferido, e eu a sua "rosa".
Espero sinceramente chegar aos 96 como ele, com o mesmo sorriso e a mesma alegria ao ver os meus bisnetos...

Sem comentários: