quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Jardins esquecidos


Ainda não há muito tempo, havia em Coimbra um jardim em plena cidade, grandioso pela sua vegetação densa, pelas suas escadarias sombrias, pelos seus recantos medonhos, de onde surgiam lendas e histórias de crimes.... Havia também um parque infantil, junto ao lago que acolhia cisnes, e repuxos em cada lanço de escadas, rodeadas por bancos decorados a azulejos com histórias.... E bem lá no cimo, como que a obrigar os visistantes ao cansaço, a Fonte da Nogueira, embelezada com Tritão a jorrar água da boca de um golfinho!
Este fim de semana pude comprovar que o Jardim da Sereia está esquecido. Resolveram os problemas dos inquilinos indesejados com a abertura e luminosidade das matas, mas quebraram a mística secreta que por lá pairava; acabaram com os baloiços e os cisnes desapareceram; os repuxos estão estragados e os azulejos que cobrem os bancos, partidos, profanados; garrafas de cerveja por todos os cantos, lixo, pouco cuidado... enfim... uma tristeza.
Mais uma das decepções que vivemos diariamente nas nossas cidades com história, que não se conseguem modernizar sem destruir a alma dos recantos românticos e centenários!

1 comentário:

Nuno disse...

Acho que isso é alvo de uma cada vez mais irreponsabilidade e imoralidade das pessoas. Assiste-se cada vez mais a uma falta de respeito pelas pessoas e pelos lugares.